sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

"A paixão é cruel...

...finge bem o papel do amor.
Não se entrega por inteira,
E por fim nos deixa a dor."

Por Dias, Anderson

domingo, 9 de dezembro de 2012

Sentimento Superior



A palavra amor se escreve,
Mas sua infinitude não se descreve.
Um amor de verdade nunca entra em greve.
A resposta de um amor é breve.
Rejeitar o amor. Quem se atreve?
O amor não causa peso.
O amor é leve.
Limpo, imaculado, alvo como a neve.
O amor nunca cobra, tampouco deve.
Sentimento superior é o amor.
Rejeitá-lo quem se atreve?

Por Dias, Anderson

sábado, 1 de dezembro de 2012

Rosa



Só eu e ela na praça,
O meu toque e uma prosa.
Ela só quer um abraço,
um afago e uma rosa.

Por Dias, Anderson

sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Ilusão




Mundo, gozo,
Deleite, satisfação.
Da euforia, só volta meia alegria,
Logo, sangria. Prazer!
Eu sou a ilusão!

Por Dias, Anderson

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

"No encanto...

 ...da alma,
Na aspiração da calma.
No balanço da palma,
Na purificação, sem talma."

Por Dias, Anderson

sexta-feira, 9 de novembro de 2012

O Jogo



Joga o jogo. Joga sério. Jogo real.
Joga 10. Jogo sincero. Jogo fenomenal.
Joga limpo. Joga lindo. Jogo verdadeiro.
Joga liso. Joga fino. Jogo passageiro.

Por Dias, Anderson

sábado, 3 de novembro de 2012

Ela Pode Aparecer




Você podia aparecer
E fazer tudo parecer melhor.
Bem melhor,
O teu gosto foi o melhor.

Não me deixe brincar só.
Tudo está tão sem graça.
Vem e me abraça, olha só
Como muda e acende a brasa.

Eu me lembro do nosso beijo
Doce como champanhe
Nossos corpos brindaram
Como taças naquele instante

Teu sorriso envolvente
Teu olhar reluzente
Reflete até hoje
Nos corredores da minha mente.


Por Dias, Anderson

quinta-feira, 1 de novembro de 2012

Bem Vinda


Menina simples,
Mulher promissora, linda.
Tens o direito de ser perfeita nessa vinda...
E noutras. Ao meu coração
Veio sobre a qualidade de bem vinda.

Anderson Dias

segunda-feira, 29 de outubro de 2012

O Encontro





Quando penso no se...
Parece história improvável.
Linhas bem distintas.
Contextos delineados pela alteridade de um ser para o outro.
Um pueril,
Outro manhoso.
Mas a improbabilidade não pode...
A distinção não pode...
Nem mesmo a diferença pode...
Impedir o encontro.


Por Dias, Anderson

terça-feira, 28 de agosto de 2012

A sala daqui


Eu já recebi aqui e chorei com a emoção.
Eu já recebi aqui e abracei a saudade.
Eu já recebi aqui e discuti com a razão.
Eu já recebi aqui e me doei a paixão.
Eu já recebi aqui e refleti com a tristeza.
Eu já recebi aqui e pedi desculpas para o perdão.
Quantos sentimentos visitaram a sala do meu coração!
Só ainda não recebi...
Ainda não conheci esse tal de amor que anda por aí.

 Por Dias, Anderson

sexta-feira, 24 de agosto de 2012

"As verdades...

...se dispersam sobre todos os logradouros. São verdades encobrindo verdades. Verdades sufocando verdades. Meus Deus, quantos deuses por aqui!" Por Dias, Anderson

terça-feira, 15 de maio de 2012

Pão & Circo

Primeira vez que posto uma música aqui, porém o que não falta neste post é poesia. Essa música PÃO & CIRCO retrata bem a maneira como o povo brasileiro tem levado a vida. Contudo, se percebe que nem todos permitem que tal condição passe como se nada fosse notado. Brasil se o pão é digno, faça-o valer muito mais que as meras atrações circense que vos querem enganar. Um belo trabalho realizado por Silas Alves Araujo, Robson Corassini,Guilherme De Almeida, Anderson Dias (Eu), Eliseu Paulo e Alexandre Rodrigues (respectivamente), pelo extinto Projeto Mentamorfose. Clique aqui para ouvir.

segunda-feira, 14 de maio de 2012

"Hoje estou aqui;

...Amanhã estarei acolá, Outrora pensava dum jeito; No vindouro doutro modo vou pensar. Independente de como eu perceba o mundo, O mundo de todas possibilidades; Maneiras e toda diversidade, É esse universo que quero desbravar." Por Dias, Anderson

segunda-feira, 9 de abril de 2012

"Um dia falei...

...de religião, me fizeram santo.
Um dia falei de revolta, me fizeram rebelado.
Um dia falei de morte, me quiseram morto.
Um dia falei de descanso, me fizeram vagabundo.
Um dia falei de ajuda, nada fizeram.”

Por Dias, Anderson

domingo, 1 de abril de 2012

sábado, 10 de março de 2012

"Oh humanos...

...divinizados, me perdoem por eu não ser tão angelical. Que vossas perfeições castiguem meu ser. Oh divinos humanos tão cabais."

Por Dias, Anderson

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

Criador

Foi na poesia que fiz, que conheci o poder e o prazer de criar a vida. Eu sou o criador.


Por Dias, Anderson


Published with Blogger-droid v2.0.4

domingo, 8 de janeiro de 2012

Meu desamor


Eu vou sofrer o eterno dissabor dos meus amores. Que os torno desamores, que me dominam feito temores. Tenho a habilidade da conquista sob deveras apreço, mas sofro da impossibilidade de cultivá-la. Conheci os melhores corações, pena, porém sempre tendi as paixões efêmeras. Conheci as melhores pretensões, pena, porém sempre as troquei pelas tensões transitórias e aventureiras das paixões. Fui amado pelas mais graciosas almas, mas nunca tive a calma de saber aprecia-las como um sujeito sob as exigências da maturidade. Quantas eu deixei de encarar sobre a qualidade de compromisso que amor com meigo modo solicita? Quantas eu me resguardei da sincera entrega que o amor suscita? Nunca promovi uma singela se quer história de amor. Talvez eu morra sem um amor por não saber uma linda história de amor escrever. Eu não sei amar até mesmo quem assaz fez por merecer. Eu vou morrer sem um amor e sem o mais deleitoso e encantador dizer a outrem;

- Eu amo você!

Por Dias, Anderson

sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

Guerras do ego

Ultrapassar as fronteiras de qualquer tipo de delimitação é criar situação de guerra fria ou não. É esquecer todo um projeto, um tratado de paz. Tristes seres humanos, que ferem os próprios ideais por deficiência em estabelecer um bem estar sobre a qualidade de estar só. Triste seres humanos que afetam o bem estar coletivo por deficiência em estar bem consigo mesmo sobre a qualidade de estar só. Assim o seres humanos investem nas guerras do ego.

Por Dias, Anderson