segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

Nesse plano


É que nesse plano acontece muita coisa...

Será que as pessoas são tãos ruins?

Será que ninguém pode dar crédito ao ser humano?

Será que as pessoas crêem na regeneração do homem?

É que nesse plano acontece muita coisa...

E na verdade poucos querem cultivar a mudança, quanto mais acreditar.

Por Dias, Anderson

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

Acredito


Acredito,

Por mais que ainda eu falhe.

Acredito,

Por mais que o meu plano não calhe.

Acredito,

Por mais que eu não veja a saída.

Acredito,

Pois minha fé é força única em minha vida.

Por Dias, Anderson

sábado, 19 de dezembro de 2009

Beijo Duro


Foi um beijo duro,
Um beijo sem amor.
Foi um beijo impuro,
Sem valor e sem calor.

Foi atrás dum muro feio,
Foi um beijo perdido.
Daqueles bem amargos,
Do inferno, maldito.

Então, um beijo para esquecer,
Para não acontecer novamente.
Esse tal de beijo duro,
Faz mal para a mente.

Pois, foi um beijo sem verdade,
Para morte num pandemônio.
De fato um beijo duro,
Como se fosse ao demônio.

Por Dias, Anderson

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

As dores de um ser humano


Carrego conseqüências das escolhas que fiz, devido aos homens que minhas ações querem julgá-las. Trago em minhas malas o peso das mais errôneas interpretações, não notam quem em minhas ações evito ao máximo ferir corações alheios. Não vêem o evitar, apenas têm olhos atentos naquilo que sabem que vou errar.

E jogam na minha face às escolhas que fiz, portanto geram feridas, das quais doem ao pisar neste solo hostil. Carrego as dores comigo e é nesta hora que vejo o mundo e um milhão de inimigos, que por vezes clamam por perdão, mas não estão aptos a perdoarem.

Minhas feridas inflamam e não adianta fingir que não as tenho e de nada adianta encobri-las, esconde-las, pois doem ainda mais quando nelas coloco um pano. Deste modo eu as levo comigo sem ter o conhecimento de quando um anjo poderá sarar as feridas oriundas de minhas escolhas. Estas que fizeram pensarem que deixei de ser um ser humano.

Por Dias, Anderson

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009