quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Erro, Deus e amor

O erro é meramente um erro. A sinceridade transcende qualquer expectativa de culpa. O amor de Deus vai além. Na sinceridade sucede o perdão e rompe-se a culpa. Por isso transcende. O amor de Deus vai além e não se compara ao amor do homem. Ademais entenda uma coisa ainda que com Cristo, somos humanos. E a relação com Deus não se dá numa troca afetiva. E sim, sobretudo pela imensurável misericórdia de Deus. Portanto, ainda que eu O ame de todo meu coração. Jamais alcançarei mutualidade. Entenda-se, ainda que cristão, humano, demasiadamente humano. Ou seja, seu amor pára na condição de homem. O de Deus não.

POr Dias, Anderson

3 comentários:

Cristiano Guerra disse...

Amém.

Sarah Araujo disse...

Você sempre me espanta com o que escreve...
Você sempre fala o que todos sentem, mas não conseguem expressar com palavras...
A precisão com que se expressa é fantástica...
Mas preciso admitir que este post deixou-me sem palavras...
Parabéns!

Sandrio cândido. disse...

Nossa, Deus é amor, é compromisso e nós deveríamos ter compromisso com este Deus e na construção de um mundo fraterno.