quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Outro trem


Eu tinha um compromisso, eu tinha que concretizar tudo àquilo que havia planejado com outrem. Mas, como de costume, atrasei-me e perdi o trem. Perdi o trem de tudo, de tudo que planejei para o vindouro, um vindouro, lindo, pleno de ouro. Atrasei-me e perdi por mim mesmo.

Afundei-me em mágoas, nas poças, ali bem pertinho do trilho. Meu dia naquele dia tornou-se fosco, sem brilho, veio-me a sensação de nada mais ter sentido. Fui banido, fui bandido, perdido de mim mesmo.

Mas, uma certeza ainda pulsava forte em meu coração, certeza da qual muito me fez bem. A certeza era que mais cedo ou mais tarde, lá haveria de passar outro trem.

Por Dias, Anderson

3 comentários:

Flor com Espinhos disse...

me tocou mtoo..

Dário disse...

O destino é um só. Por vezes, por conta das nossas escolhas, aumentamos o tempo da viajem. Desvios, enganos, experimentações. Tudo é bom. Com isso aprendemos. O problema é estar fora da rota e, por orgulho, falta de conhecimento (de si neste caso), ou outros motivos supérfulos, e continuar a viagem. "Pra quem sabe olhar pra trás nenhuma rua é sem saída."

Paz e luz amigo

Katheryne Nazer disse...

A vida sempre em cciclos. E dando motivo pra texto muito bons e sensíveis como este seu! Beijinhos, Kathy